Pará Musical
Publicidade texto
Notícias  

"O tecnobrega não está tocando nas rádios"

Wanderley Andrade, um dos pioneiros do pop brega, falou com exclusividade ao Pará Música antes de show em Belém

Por Nicolau Amador Fotos: Divulgação
 
Wanderley Andrade em sua casa em São PauloCom mais de 30 anos de carreira, José Wanderley Andrade Lopes, ou simplesmente Wanderley Andrade, é um dos ícones mais importantes da música brega paraense. Foi um dos pioneiros do pop brega, que abriu caminho ainda nos anos 1990 para a transformação e a visibilidade que resulta hoje no boom do gênero pelo país.“Boom”, aliás, é um termo que ele contesta. Por motivo de sua vinda a Belém para um show no próximo dia 9 de março, o Pará Música o entrevistou rapidamente por MSN. Wanderley mora em São Paulo há três anos, onde mantém outras atividades empresariais, mas não para de tocar, e atualmente está fazendo show divulgando seu último CD, “Acochadinho”, lançado em 2010.

Perguntamos a Wanderley o que ele acha do estouro do tecnobrega no Brasil, através da repercussão do trabalho de Gaby Amarantos. E tivemos uma resposta surpreendente: “Eu ando em todo o país, e percebo que não está tocando Tecnobrega em lugar nenhum, infelizmente. É só você olhar no playlist das rádios e você não vai encontrar. Tocou na época com a Banda Djavu.”

Mas a Gaby está no Faustão, na Marília Gabriela, na Vogue, no The Guardian... como se justifica isso? “Quanto a nossa amiga Gaby, eu acho extraordinário o que está acontecendo com ela na mídia nacional eu acho que ela está muito bem nas entrevistas, se reportando de uma forma sensata, com palavras de ordem e vendendo o nosso majestoso Pará. Masssssss, não música de massa, você entende? O que está vendendo é visual, infelizmente. E Gaby tem um talento maravilhoso”.

Wanderley disse que a repercussão do trabalho musical de Gaby Amarantos ainda não tem um público de massa, o que se espera que mude com o lançamento do primeiro disco solo dela produzido com capricho para os padrões comerciais das rádios brasileiras. “Estou em Sampa tenho show em Guarujá e Santos e ninguém conhece uma música dela aqui. Então, é diferente de um artista que vai fazer Faustão e outros programas que já está tocando nas rádios”, disse o “Ladrão”, deixando claro que “É o que estou vendo no momento, amigo. Te respondi?”.

Wanderley Andrade nasceu em 6 de junho de 1964, em São Miguel do Jarí, distrito de Almerim (PA). Filho de família humilde, aos 14 anos passou a cantar e viver com americanos, aprendendo fluentemente o inglês. Aos 20 anos passa a cantar em casas noturnas e vira intérprete em hotel cinco estrelas, em Belém do Pará. Nessa trajetória aprende Francês, Italiano e Espanhol. Em 1991 grava seu primeiro LP, e em 1997 explode nas paradas com o Ladrão de Coração, onde alcança a venda espetacular de 267 mil cópias.

Cartaz do show de WA e Projeto Charmoso

Seu jeitão irreverente, extravagante e luxuoso, realçado por uma cabeleira colorida, fazem-no dono de um estilo único e inimitável. Suas principais características são a simpatia e inteligência, aguçadas por um extraordinário senso de humor. “Acho que ele é fundamental para o tecnobrega. Ele levou, de certo modo, a estética visual espalhafatosa para o Brasil, as versões do Pink Floyd, muita coisa marcou naqueles anos 90 em que ele também foi ao Faustão”, conta o produtor e radialista da Rádio Cultura FM, Fabrício Rocha.

Para o publicitário Edvaldo Souza, editor do blog MúsicaParaense.Org, “ele é um dos primeiros a circular em redes de televisão e rádios com o gênero e ter aceitação pública fora do estado, e com vendagem de CDs considerável. Ele deu um up para o Calypso”.

Segundo Wanderley, seus discos venderam juntos mais de 800 mil cópias. A inspiração para seu visual vem de personagens familiares da música mundial, como Elvis Presley, Nina Hagen, Raul Seixas, Pepeu Gomes e Sex Pistols. E nessa miscelânea de intenções surge o astro pop brega Wanderley Andrade, o Ladrão de Corações, que se apresenta no dia 9 de março no Café com Arte, ao lado do Projeto Charmoso.

Acesse o site do Wanderley Andrade e abaixo veja a execução ao vivo de "Admirador" do DVD "Minha Gente", gravado ao vivo no Bar Boêmio, em Belém, emjaneiro de 2011, com participação de Chimbinha, Kim Marques, Edilson Morenos e outros bregueiros de responsa. 

 

 

27 de fevereiro, 2012 - 09h12
Nome
E-mail
Mensagem

Comentários (2):

gilberto dias fernandes

vc sao de mais curto vcs abessabicho

rogerio souza

que saudades do tempo que estavam estourado aqui no pará wanderley andrade, roberto vilar e outros que sabem fazer musicas. hoje tudo mudou e o ritimo sofreu mutações e virou um lixo sendo cantado pelos quimicos da musica que e as porras dessas bandas fuleiras que conseguem transformar musicas lindas internacionais em merda. e nao fazem mas musicas pra mulher agora e so musica pra macho.. Pra djheys quando nao e para aparelhagens eu amava o nosso ritimo até surgir os quimicos da musica que sao essas bandas podres paraense que nao gravam uma musica que preste. Obs.. Falo das bandas podre de tecno brega.


contato@paramusica.com.br

Escreva-nos!

Mensagem