Pará Musical
Publicidade texto
Notícias  

O adeus precoce do punk libertário

Morre de forma trágica Gerson Costa, compositor e vocalista da banda Baby Loyds, depois de show explosivo na UFPA

Por Elielton Amador Foto: Redes Sociais* e Arquivo Jayme Katarro
 
Gerson, vocalista da seminal banda punk Baby Loyds morreu de forma trágica
 
O punk rock paraense perdeu, de maneira trágica, precoce e até agora impune, um de seus maiores ícones. O vocalista da seminal banda Baby Loyds, Gerson Costa, 41, morreu atropelado por um caminhão coletor de lixo na madrugada do último domingo, 15 de novembro. Segundo relato dado ao jornal Diário do Pará, até então sem a identificação do corpo, Gerson teria sido atingido pelo veículo que trafegava em alta velocidade. Fora arrastado por mais de 30 metros e teria ficado com o rosto irreconhecível. O veículo não teria parado para prestar socorro. 
 
A família chegou a anunciar nas redes sociais que Gerson estava desaparecido há três dias. A notícia de seu falecimento só foi confirmada na tarde de ontem, dia 17 de novembro. Ao ser anunciada nas redes sociais, muitos amigos, familiares, colegas de música e fãs postaram mensagens de solidariedade e lembraram a grande perda que seu falecimento precoce representa para o rock de Belém. 
 
“Meu maninho, Gerson Costa, de ombro a ombro com tu. Na luta de classe sempre tiveste com o socialismo libertário. Te amo pelo menos há 25 anos. Sempre foste minha referência. Sempre carregarei teus ensinamentos. Te amo. A terra tão disputada da classe trabalhadora, tenho certeza que lhe será leve. Qualquer situação tô por aqui”, escreveu amigo e professor Fabiano Oliveira Bringel.
 
“Meu irmão Gerson Costa, só soube agora de sua partida, grande artista, gritou contra as injustiças, contra a exploração social, um homem nobre. Deus te guarde com sua luz, grande amigo. Aos familiares o meu pesar”, foram as palavras de Cláudio Figueiredo, ex-vocalista da banda Tribo, que viveu seu auge no final dos anos 1980 e início dos anos 1990, juntamente com a banda de Gerson. 
 
Surgida ainda nos anos 1980, a Baby Loyds passou por várias formações, com um período de afastamento de Gerson. Mas há alguns anos ele voltara para a banda e vinha fazendo várias apresentações com o grupo. Recentemente, estive em uma banca de jurados para selecionar bandas ao festival Rock na Veia, e, mesmo com mais de 20 anos de estrada, Gerson mantinha o mesmo vigor e humildade: estava lá entre todos os outros músicos de bandas muito mais novas, com o mesmo sorriso, simpatia e carisma que o fizeram querido entre toda cena musical de Belém. 
 
“Sei a pessoa boa que ele era e meu tio não merecia partir desse jeito. Ele, junto com minha tia Karina, que também já se foi, me tratavam como um verdadeiro filho. Só tenho a agradecer por ter tido esse cara na minha vida! O punk rock ficou mais triste agora”, escreveu João Ricardo Pereira, sobrinho de Gerson. 
 
“Sem palavras. Perdi um amigo pessoal, um verdadeiro irmão. Vá em paz, Gerson Costa. Aquele som fica pra próxima. Um abraço e meus sentimentos aos familiares e demais amigos. Muito, muito triste”, disse o jornalista e músico Claudio Darwich. 
 

Anos 1980. Gerson é o segundo a partir da esquerda.

Recentemente também, o guitarrista e vocalista Giovanni Villacorta, integrante da banda Norman Bates (que também se reunira recentemente para comemorar os 30 anos da Rádio Cultura, com a presença de Gerson no Estúdio), que integrou a formação original da Baby Loyds com Gerson, voltara para a banda. A volta de Giovanni e a nova visibilidade, recém adquirida com o documentário sobre o programa Balanço do Rock, produzido pela TV Cultura do Pará, deram novo gás a Gerson e à banda. 
 
Na última sexta-feira, antevéspera do acidente, Gerson e a banda fizeram uma apresentação comentada por todos como “incrível” no Rock Rio Guamá, na Universidade Federal do Pará (UFPA). “Ele estava com todo o gás, havia muitos shows agendados para a gente fazer. Nem acredito nisso, estou tentando digerir ainda”, comentou ao telefone Giovani Villacorta, transtornado. 
 
Após os shows, Gerson saiu para comemorar com os amigos e foi até Mosqueiro, de onde retornou apenas na madrugada de domingo. Pediu para descer do carro na rodovia BR-316 de onde pegaria um ônibus para o bairro da Cidade Nova, em Ananindeua, onde morava. Foi a última vez que foi visto pelos amigos com vida. 
 
A Baby Loyds surgiu na cena belenense de rock nos anos 1980 e era reconhecida pela sua performance explosiva, pela postura anarquista e pelo carisma e a voz forte de Gerson. Compôs clássicos do punk rock paraense como “Valores”, “Embriagados na Caverna”, “Greve Geral” e “Inteligência Humana”. 
 
Até o fechamento desta matéria, a família estava envolvida com os procedimentos para liberação do corpo, ainda não foi informado local do velório e sepultamento. O Pará Música presta sua homenagem à Gerson Costa (13/12/1974 - 14/11/2015). 
 

*Não Identificado.

17 de novembro, 2015 - 19h45
Nome
E-mail
Mensagem

Comentários (0):

Nenhum comentário publicado.

contato@paramusica.com.br

Escreva-nos!

Mensagem