Pará Musical
Publicidade texto
Notícias  

Natura patrocina artistas paraenses

O programa de apoio à música brasileira anunciou selecionados para a segunda fase, dos Editais Nacional 2012 e Regionais Pará e Bahia

Por Redação Fotos: Ana Flor e Thiago Araújo
 
O santareno Sebastião Tapajós foi um dos contemplados com o patrocínio da Natura

O Natura Musical 2012 divulgou este mês o patrocínio de 24 projetos. O programa acaba de anunciar os selecionados na segunda fase do Edital Nacional 2012 e dos editais regionais do Pará e Bahia. Foram 11 projetos nacionais e 13 estaduais, em diferentes plataformas e estágios da produção musical. No Pará os contemplados com lançamento de CDs foram Natalia Matos, Camila Honda, Felipe Cordeiro, Juliana Sinimbú, grupo CaBloco Muderno, Sebastião Tapajós, Mestre Solano e Ronaldo Silva.

Segundo a assessoria da empresa “os editais regionais são uma grande aposta da Natura para alcançar diferentes públicos, respeitando as peculiaridades de cada povo”. Na Bahia, os contemplados foram Márcia Castro, Russo Passapusso, Marcela Bellas, o grupo Ilê-Ayê e o festival de documentários musicais IN-Edit Bahia. No próximo ano o programa deve ainda anunciar os selecionados no edital regional de Minas Gerais, que está em fase de escolha dos selecionados.

A gerente de Marketing Institucional da Natura, Karen Cavalcanti, diz que o patrocínio a esses projetos reforça o programa como um dos principais de valorização à música brasileira. “Desde 2005, quando foi criado, até hoje, o programa expandiu muito seu alcance, com artistas contemplados de diversas partes do País e os projetos selecionados sendo levados a um grande número de cidades. Vamos continuar nesse caminho, cumprindo nosso objetivo de resgatar as tradições brasileiras, apostar em novos talentos e reverenciar nomes consagrados”, afirma.

Para a seleção dos projetos, foi convidada uma comissão técnica independente formada por jornalistas e produtores culturais como Lauro Lisboa Garcia, Roberta Martinelli, Hagamenon Brito, Márcia Carvalho, Melquíades dos Reis, Tuzé e Jarmeson de Lima. Cada região com sua comissão específica. Os projetos também passaram pelas etapas de avaliação técnica, julgando com base nos critérios do programa: adequação ao conceito do Natura Musical, potencial de mobilização de público, acessibilidade, excelência, inovação, visibilidade e custo-benefício.

Contemplados - O violonista Sebastião Tapajós foi contemplado com a produção do disco “Da Lapa ao Mascote” e mais a realização de três shows. Já o grupo CaBloco Muderno também terá o patrocínio para gravar seu primeiro disco e para a divulgação de shows, oficinas, desfiles de rua do grupo entre outras. Também será o primeiro álbum da cantora Natália Matos, que ganhara a gravação, mixagem, masterização e prensagem de 10 faixas para a produção do disco. Com uma formação não convencional quem grava seu disco de estréia também é Camila Holanda, que une músicos jovens com o pianista Paulo José Campos de Melo.

Natália Matos é uma das jovens revelações paraense em que a Natura aposta

Já Juliana Sinimbú terá apoio para gravar o segundo disco de sua carreira intitulado “UNA”, assim como Felipe Cordeiro que gravará seu terceiro CD solo, depois do aclamado “Kitsch Pop Cult”. O grupo Balaio Sonoro fará uma coletânea com 12 músicas de Ronaldo Silva, fundador do Arraial da Pavulagem, gravadas e lançadas por outros intérpretes. E para completar o time paraense em bom estilo o Mestre Solano, comemora seus 60 anos de carreira como músico, com a gravação do disco que traz sucessos da década de 80 além de músicas inéditas. O projeto prevê também a produção de um site que disponibilizará ao público toda a obra do artista para pesquisa e audição.

Os projetos patrocinados pela Natura Musical são incentivados pelo programa Semear do Governo do Estado do Pará, gerenciado pela Fundação Cultural Tancredo Neves.

Nacional - Em outubro, foram divulgados os três selecionados na primeira fase do Edital Nacional, Ney Matogrosso, Lurdez da Luz e Grupo Uirapuru. Nesta segunda fase, a Natura selecionou projetos em duas vertentes. Uma delas se encarrega de contar parte da história da música brasileira, seja por meio da obra de artistas consagrados ou pela arte menos difundida, situada em diferentes regiões do país. Hamilton de Holanda revive a obra de Pixinguinha, contando uma história consagrada, e os projetos Na Eira, do coletivo Ponto BR, Caravana Pantanais e Música das Cachoeiras, que contam histórias menos conhecidas, escondidas em diferentes regiões do país.  

Outro bloco busca consolidar projetos de artistas da cena musical contemporânea nacional. Marcelo Jeneci, DJ Dolores, Siba, e a Abayomi Afrobeat Orquestra terão CDs gravados com o apoio do Natura Musical, além de shows para circulação da obra.

21 de dezembro, 2012 - 08h24
Nome
E-mail
Mensagem

Comentários (0):

Nenhum comentário publicado.

contato@paramusica.com.br

Escreva-nos!

Mensagem