Pará Musical
Publicidade texto
Músicos Empreendedores  

Dú Blues, do lado da música

Daniel Dú Blues conta um pouco sobre sua trajetória, sobre o ensino de técnica de guitarra e sobre a profissionalização da cena de Belém

Por Elielton Nicobates Amador* Foto: Raquel Gadelha e Túlio Contente
 
Dú Blues, atirador de elite da Fender Stratocaster (em clique de Raquel Gadelha)

 

Daniel Fontoura, ou simplesmente Daniel Dú Blues, tem 51 anos de idade e uma trajetória ao lado de sua guitarra Fender Stratocaster. Profissional que já trabalhou com vários músicos em Belém, no Rio de Janeiro e São Paulo. Daniel tem muito o que ensinar, além de frases e técnicas de blues na guitarra e no violão – ele tem um método próprio que está reativando e captando muitos alunos com ele.

Estive com Daniel em duas ocasiões, em que inclusive tocamos juntos, para conversar sobre seu novo curso e sobre sua trajetória como músico. Completamos a entrevista que segue abaixo pelo Facebook.  Daniel está em fase de gravação de seu primeiro disco solo que pretende lançar no ano que vem, para o que está captando recursos.

Como empreendedor da música, Daniel foi, além de músico instrumentista,  promoter de casas noturnas e bares como o saudoso Bora Bora, o High Tech Café e o Old School, onde hoje ocorrem as quartas autorais e onde ele implantou o sistema de duas bandas por noite. De Eloi Iglesias a Serguei, ele é um dos sidemen mais experientes em atuação em  Belém. Carioca, ele veio para Belém em 1988... bom, leia a entrevista e saiba tudo.

 

Conta como você chegou no Pará e quando foi isso?

Cheguei aqui em 1988. Eu vim para trabalhar na Albrás e logo na primeira semana fui conhecendo a Praça da República. No domingo, fiquei amigo do [músico] Sérgio Darwich e ele me convidou para entrar na banda Nó Cego. Na semana seguinte já tocamos no festival de rock “Independência ou morte”, que ocorreu no Teatro Experimental Waldemar Henrique.

 

De lá para cá, foram muitos shows e colaboração com muitos músicos, né? Com quem já tocaste?

Além do Nó Cego, que toquei entre 1988 e 1889, até a década de 1990, eu toquei com várias bandas. Toquei com o Solano Star, fui guitarrista do Eloi Iglesias, do Orador,  Blues Pirata e Espargo de Marfim, com quem fiz a abertura do show do Barão Vermelho, na praia do Atalaia, em Salinas, com mais de 30 mil pessoas na plateia. Também toquei com Cat Brown, em 1999, e com a banda Carcaça de Playboy, que montei em 2013, com Ícaro Suzuki (ex-Madame Saatan), no contrabaixo, e Beto Brasil (ex-Endless e Led Zeppelin Cover), na bateria.  Também acompanhei o Serguei, o gaitista de São Paulo Robson Fernandes e Donatinho, filho do João Donato,  que conheci em Belém e de quem me tornei amigo.

 

Como foi a sua formação como guitarrista?

Fui aluno do guitarrista Alexandre Valladão, que foi professor de vários guitarristas consagrados no Rio de Janeiro. Mas sou mesmo discípulo do Celso Blues Boy e de Ritchie Blackmore. Eu assistia tanto aos shows de Celso Blues Boy no Rio, e eu ficava secando tanto ele tocar guitarra, que ele subia no palco e já me cumprimentava: “E aí, muleque, tudo bem?” (risos).  Mas 80% da minha formação são autodidatas. Sempre aprendi muito vendo e ouvindo. Comecei a tocar com 16 anos, em 1981, e em 1986 comecei a dar aulas na Opus, uma escola de Música em São Paulo.

 

Você inclusive está com um curso novo de guitarra. Em que é baseado o seu método?

Sim, esse método foi desenvolvido por mim nos anos 1990 e está baseado nas escalas pentatônicas menores. Em 16 aulas, eu ensino improvisação com a escala de blues, além de técnicas, licks , riffs e harmonia. Tenho também um método de violão e voz em 16 aulas, onde desenvolvemos um repertório básico a escolha do aluno. Ele fica apto rapidamente a animar uma roda de amigos com o violão. Faz muito sucesso com a rapaziada mais jovem. Eu costumo dizer que meu método é mais um treinamento do que um curso, com resultado rápido. Você obtém velocidade e prática em pouco tempo. Fica espantado com o resultado. Você devia tentar.

 

Legal. Eu acho que vou tentar mesmo. Estou tentando voltar aos palcos e não seria uma má ideia. Mas me diz o que você acha da formação dos guitarristas de Belém? Seu curso é mais para iniciantes, ou serve para profissionais também?

Acho que Belém é um berço de músicos muito bons. Meu método atende desde iniciantes e intermediários até profissionais que querem absorver a linguagem do blues, nesse caso com poucas aulas. Vale ressaltar que aprendizado na música requer disciplina e prática diária. Não adianta só um bom professor, mas o professor é fundamental para que o aluno aprenda as técnicas de estudo e se policie para seu treinamento. Que seja disciplinado.

 

Mas com essa coisa da Internet, hoje um professor faz muita diferença para o aprendizado? Você mesmo disse que foi autodidata.

A Internet ajuda muito. Tem muitas coisas legais e pode servir como apoio. Ajuda na prática diária porque o aluno pode ser sentir desmotivado para o exercício se ficar sozinho. Mas o professor acelera o processo e ajuda no aprendizado correto, indicando atalhos. Além do mais, as minhas técnicas de ensino são exclusivas e ainda não estão disponíveis na rede. Acho que é ingenuidade achar que a Internet vai substituir completamente o professor, principalmente, para quem objetiva ter resultados profissionais em pouco tempo. Sem disciplina e acompanhamento você vai passar a vida toda “fingindo” que estuda na Internet e seu desenvolvimento vai ser mínimo. Com meu método, você se desenvolve em pouco tempo e com resultados visíveis.

 

Com o baixista Claudio Darwich. Foto de Túlio Contente.

Agora fiquei animado! Bom, voltando ao assunto da profissionalização da cena musical de Belém. A cidade ainda tem carências grandes não tem, apesar dos bons músicos? E o lance dos estúdios?

Acho que a facilidade em comprar equipamentos de hoje em dia promoveu uma banalização nessa área de estúdio. Tem muita gente brincando de produzir e tocar. E isso enfraquece a cena, mas, certamente, conheço muitos profissionais talentosos tanto como produtores, donos de estúdios quanto músicos. Mas temos que tomar cuidado para não cair nas garras desses fakes empolgados. Eu mesmo fui vítima disso recentemente enquanto gravava as faixas do meu novo disco. Quando descobri que o cara não tinha condições de desenvolver o trabalho de maneira séria, tive que suspender o serviço. Ficou chato, mas nem vou falar mais disso porque já passou e não tem nada pessoal com quem fez. É só uma questão de profissionalismo mesmo. Então, essas coisas a gente precisa evitar e corrigir. Agora estou trabalhando com profissionais.

 

Entendo. Realmente é preciso separar as coisas. Mas, certamente, como você mesmo falou, existem muitos outros profissionais com excelência. O que você tem escutado de bom ultimamente?

Eu escuto as coisas que tem a pegada do blues. Atualmente, estou escutando [a banda de southern rock] Gov't Mule. Essa banda tem servido de inspiração para mim. E também minhas velhas influências, que são Rory Gallagher, Johnny Winter, Jimi Hendrix, Roy Buchanan, Ritchie Blackmore, Buddy Guy, B.B. King, Eric Clapton e por aí vai...

 

E você está gravando um disco. Quando ele deve sair e qual o seu repertório?

Sim, na verdade estou gravando um EP com quatro faixas autorais, sendo uma instrumental. Ele vai ser finalizado e lançado em fevereiro de 2016. Sempre trabalhei nesses mais de 30 anos de estrada com releituras de clássicos do blues e do rock, mas tenho um material composto ao longo desse tempo todo. Composições que foram feitas ainda nos anos 1980 e material atual também. O CD se tornou um EP diante da dificuldade de captação de recursos. Existe uma dificuldade na elaboração da Lei Semear, pela qual aprovei uma carta de incentivo ao meu projeto. A Lei, em vez de ajudar o músico apenas o constrange.  O governo tinha que financiar de forma direta e não liberar uma carta onde o músico ainda tem que ir de porta em porta implorar. Não acho justo. O governo tinha que liberar a grana e depois ele mesmo enquadrar as empresas que estivessem “ok” com o fisco. No formato atual estimula o "jeitinho brasileiro" e a famosa “volta da contrapartida”. Assim sendo o meu EP vai e ser patrocinado por mim mesmo. Mas garanto que é um trabalho onde a maior preocupação está sendo a música, os arranjos e a qualidade técnica na captação, mixagem e masterização. Também estão programados para 2016 um CD das minhas releituras de clássicos do rock, soul e blues, projeto esse que já tem pré-produção gravada desde o ano 2000. Ano que vem sai, com certeza.

Bom o papo com você Daniel. Para finalizar, o que você recomendaria para um músico novo que está iniciando a carreira, em termo de cuidados e virtudes para ele se dar bem na profissão?

Eu penso que o músico tem que trabalhar com a sua verdade. Tem que por a música sempre como o mais importante e evitar ir na onda dos outros. Música é arte, procure sempre trata-la como tal, aprimorando sua técnica e o seu fazer artístico. Apesar de, às vezes, ser uma vida difícil, vale muito a pena seguir essa profissão. Se você tiver a formação correta e trabalhar direito, pode ser feliz e bem sucedido. 

 

MAIS SOBRE DANIEL DÚ BLUES

Facebook Daniel Dú Blues

Canal no Youtube

Contato: (91) 91 98349 2113

 
 
04 de dezembro, 2015 - 06h48
Nome
E-mail
Mensagem

Comentários (12):

ekwkmUmzyXGYlHFsSrD

3GUI4H rhfydtnwsvix, [url=http://wlbzbepyxvfc.com/]wlbzbepyxvfc[/url], [link=http://pvrxpborbcsh.com/]pvrxpborbcsh[/link], http://umvrjmlzegjw.com/

0VkjilASPQ

Haaahahh. I'm not too bright today. Great post!

0VkjilASPQ

Haaahahh. I'm not too bright today. Great post!

0VkjilASPQ

Haaahahh. I'm not too bright today. Great post!

LHOq9rDhFQ5u

Normally I'm against killing but this article slagehterud my ignorance. http://nooaxqpplzs.com [url=http://piqatvxxdpy.com]piqatvxxdpy[/url] [link=http://llxosw.com]llxosw[/link]

LHOq9rDhFQ5u

Normally I'm against killing but this article slagehterud my ignorance. http://nooaxqpplzs.com [url=http://piqatvxxdpy.com]piqatvxxdpy[/url] [link=http://llxosw.com]llxosw[/link]

LHOq9rDhFQ5u

Normally I'm against killing but this article slagehterud my ignorance. http://nooaxqpplzs.com [url=http://piqatvxxdpy.com]piqatvxxdpy[/url] [link=http://llxosw.com]llxosw[/link]

CudDR3WbVpnx

There's a secret about your post. ICKTBYIHTTY

CudDR3WbVpnx

There's a secret about your post. ICKTBYIHTTY

dNB8vEzE5ja

That's a clever answer to a tricky quteoisn

dNB8vEzE5ja

That's a clever answer to a tricky quteoisn

dNB8vEzE5ja

That's a clever answer to a tricky quteoisn


contato@paramusica.com.br

Escreva-nos!

Mensagem