Pará Musical
Publicidade texto
Lançamentos  

A cultura pop de Allan Carvalho

Disco de estreia emula diferentes ritmos e gêneros numa série de referências que vai de Menudo a Beatles

Por Elielton Amador Foto: Divulgação

Músico ligado ao movimento do boi-bumbá, Allan Carvalho abre este seu primeiro álbum celebrando a tradição cultural de grupos como o Arraial do Pavulagem e tantos outros. Parceiro de Cincinato Marques, no grupo Quaderna, e de Ronaldo Silva, do Arraial, ele decidiu mostrar neste disco, para além da tradição popular, sua veia pop.

 

“Brega rock”, “funk samba” e “rock melody” são alguns dos estilos que figuram ao lado dos títulos das canções na contracapa do disco – evocando o recurso semiótico dos antigos LP’s. A fusão de ritmos inusitados talvez seja uma tentativa de descrever a diversidade que permeia as músicas. “Hoje está tudo tão cheio de nomes que nem eu mais sei o que eu toco”, diz Allan, em entrevista exclusiva ao Pará Música, na seção Bafafá.

Essas influências de uma cultura pop radiofônica e televisiva ficam ainda mais claras em pequenas inserções, como a de um trecho de áudio de “Não se reprima”, do Menudo, antes de começar a faixa “Tá Russo!”; ou nas citações diretas na voz do cantor, como a de Jererê, de Nelsinho Rodrigues, em “Tchê-tchê-tchê”, ou no trompete do início de “Que brega é você?”, que cita Eleanor Rigby, dos Beatles.

Todos os ritmos têm uma levada cadenciada, que, mesmo evocando o pop e o rock, parecem estar sob a condução de um maestro do reggae boi, suingado, malemolente. Veio-me à mente a referência de Toni Soares (ele mesmo egresso do Arraial do Pavulagem), que trabalhou o ritmo do boi na levada do reggae e da canção pop na primeira metade da sua carreira, até o início dos anos 2000.

As canções que flertam com as linguagens “pop” que mais me agradaram foram “Tá Russo!”, “Que brega é você?” e “Sei lá, entende?”. Mas as nove faixas do disco são tão bem cuidadas que a audição do disco segue gostosa do início ao fim, tranquilamente.

Gravado em duas etapas desde 2010, o disco conta com arranjos e participações de músicos experientes da cena de Belém, como o baixista Príamo Brandão e os guitarristas Marcello Pyrull e Ziza Padilha. A primeira metade do disco foi gravado no Zarabatana Estúdio e a segunda foi produzida por Thiago Albuquerque, no estúdio Na Music, selo pelo qual saiu o disco, com incentivo do programa Seiva, do Governo do Pará.

SERVIÇO:

Disco “Oura” – Allan Carvalho

Onde comprar:

Lojas digitais:

Deezer: http://www.deezer.com/album/12514570

Google Play:

https://play.google.com/store/music/album?id=B6ivgcoasqziucfmnfvyoepyryy

iTunes: http://itunes.apple.com/us/album/id1088526334

Spotify: http://open.spotify.com/album/2oLN3EE4FxAHPgrrTxGSqr

Em Belém

Lojas Ná Music – Unidades Gentil e Estação das Docas

Banca da Tati (Lélio Torres) – Av. Alcindo Cacela, entre Pariquis e Caripunas.

Direto com a artista. R$ 20.

OUÇA A FAIXA "TÁ RUSSO!"

31 de março, 2016 - 17h39
Nome
E-mail
Mensagem

Comentários (0):

Nenhum comentário publicado.

contato@paramusica.com.br

Escreva-nos!

Mensagem